Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica



Capacitação de mulheres sudanesas é tema de palestra

AddThis Social Bookmark Button
There are no translations available.

O trabalho do Sudanese Business Women Development Center (SBWDC), organização que auxilia mulheres que querem abrir o próprio negócio em Cartum, capital do Sudão (país do norte africano), será contada em palestra na manhã desta sexta-feira, na atividade técnico-científica “Programa de Profissionalização de Mulheres em Cartum – Sudão”. A palestra de Samia Shabo, presidente do SBWDC, começa às 9h, na Sala Cacupé, no piso superior do Centrosul.

altO SBWDC - cujo nome em traduzido para o português seria, aproximadamente, Centro de Desenvolvimento de Empresárias Sudanesas – existe desde 2009 e já atendeu a cerca de 1,8 mil mulheres de Cartum. O centro oferece a mulheres que querem iniciar o próprio negócio cursos e treinamento, além de ajudá-las a conseguir financiamento em bancos. “Algumas querem abrir supermercados, lojas e até pequenas fábricas. São mulheres que ficavam em casa, não tinham capacitação e teriam dificuldade em entrar no mercado”, conta Samia (ao centro na foto).

O centro trabalha com mulheres de várias faixas etárias e níveis de escolaridade diversos. Segundo Samia, ainda há pessoas no Sudão que não aceitam que mulheres possam ser donas de seu próprio negócio e, em alguns casos, as próprias mulheres não manifestam interesse em deixar o trabalho doméstico.

“Muitas dizem que já têm dinheiro suficiente, que querem ficar em casa, mas nós as incentivamos a se capacitar e a começar seus negócios próprios”, afirma. Um dos casos de sucesso que Samia conta começou assim.  Uma mulher que não tinha, a princípio, interesse em deixar o trabalho doméstico, hoje é dona de uma fábrica de perfumes que montou junto com o marido depois de passar pelo SBWDC.

Samia afirma que ainda são poucas as mulheres empresárias no Sudão, mas que a situação já é melhor que a de 2009, quando começou o trabalho do SBWDC. Ela relata, com pesar, que recebe pedidos de vários estados do Sudão para que implante unidades do centro, mas que não possui recursos para isso.

Embora ainda haja diferenças de gênero no país, aos poucos, afirma Samia Shabo,, a mulher ganha espaço na sociedade do Sudão. Prova disso, que ela conta com orgulho, é que 25% do parlamento sudanês é composto por mulheres.

O SBWDC possui um grupo no Facebook, que pode ser acessado aqui.

(Felipe Silva)
 

Reciba en tu email las novedades del Foro.