Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica



Conif e Forinter priorizam Internacionalização da Rede Federal

AddThis Social Bookmark Button

altA internacionalização das instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e as ações previstas para 2012 nortearam a reunião plenária do Fórum dos Assessores Internacionais dos Institutos Federais (Forinter). Realizada na quarta-feira, 30/5, durante o II FMEPT, a reunião reiterou o importante papel dos institutos federais no cenário internacional.

Na abertura, o reitor do Instituto Federal de Roraima (IFRR) e membro da Câmara de Relações Internacionais do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Edvaldo Pereira da Silva (no centro da mesa), destacou o espaço conquistado pela Rede a partir da atuação do Forinter. “O Fórum contribuiu muito para garantir a presença das instituições da Rede no cenário internacional, inclusive mostrando para o mundo que temos papel diferente das universidades”, disse.

Ainda em 2012, a Rede enviará cerca de 60 estudantes de graduação para intercâmbio no Canadá. Há também a previsão de que estudantes brasileiros participem de intercâmbio internacional em Portugal, Estados Unidos e Reino Unido. Ainda neste ano, a Rede receberá oito estagiários franceses para lecionar cursos de francês nos institutos federais. Além disso, o Conif e o Forinter negociam com o Ministério da Agricultura da França a vinda de estagiários para câmpus agrícolas das instituições da Rede.

Criado em 2010, o Forinter é um órgão de assessoramento da Câmara de Relações Internacionais do Conif. É coordenado pela assessora de Relações Internacionais do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), Lia Pachalski (na mesa, à direita).

Aproveitamento de estudos

Na noite de quinta-feira, 31/5, durante o seminário “A internacionalização dos institutos federais e o aproveitamento de estudos”, o Forinter e o Fórum dos Dirigentes de Ensino (FDE) manifestaram preocupação acerca da falta de regulamentação nas instituições da Rede para o aproveitamento de estudos, um dos principais desafios no processo de internacionalização. As mobilizações em busca de solução já estão em andamento, sob a coordenação do FDE.  

Os coordenadores dos fóruns também deram destaque à necessidade de implementação de ações de apoio e acompanhamento aos participantes de programas de mobilidade e intercâmbio acadêmico.

Receba as novidades do Fórum em seu e-mail.